quarta-feira, 31 de março de 2010

"Dá- me a luz, dai me o fogo"

Quando o conheci estava em um momento muito fragil e triste de minha vida.Não posso dizer que fui seduzida,pois já estava com mais de 20 anos e já sabia o certo e o errado.Não faltaram conselhos  para não me aproximar.
Tinha acabado um relacionamento de 6 anos e estava aos frangalhos.Não foi ele que me procurou mais sim eu.Achei que com ele todos meus problemas sumiriam.Não se cura um amor com outro?E assim eu o fiz.No começo foi um caso banal e somente o procurava uma vez por semana.Mas depois me tornei dependênte de tudo nele.Passava o dia inteiro com ele.
Era uma relação prazerosa, mas tudo que passa a ser dependência não tem um final feliz.


Não conseguia mas larga-lo.E olha que tentei.Entre indas e vindas eu me culpava por não colocar um final na relação.Acordava e a primeira coisa que fazia era procurar seu colo.Seu cheiro estava perfurado em minhas mãos,em meu cabelo, em minha pele.E quando não o achava em meu alcance tinha muita ansiedade.Ele me ajudava a ser mais social e porque não, à conhecer novas pessoas.Depois do sexo era nele que pensava.

Durante mais de dez anos nos aturamos.E mesmo com um alto grau de dependência,ele me ajudou em momentos felizes e tristes de minha vida.
Durante minha gravidez tive que deixa-lo.Ou era ele ou meu filho.Escolhi meu filho sem pensar.Com esta separação engordei e fiquei neurótica.As mudanças de hormônios tb ajudaram.
E nos momentos de alegrias e tristezas ele não estava mais lá.No nascimento de meu filho ele não estava lá.Como queria vê-lo depois do parto.Toda mulher merece, pelo menos nesta hora de grande bravura.

Nossa separação durou um pouco mais de 1 ano.Impensavelmente o procurei e mesmo sem seus vestigios em meu corpo, insistir na volta.
Não preciso dizer como fui criticada por procura-lo depois de tanto tempo longe.Quem nunca errou atirre a primeira bituca.
Hoje já faz quatro semana que não o procuro.Prometi a mim mesma que essa dependência teria um final.
E a cada dia sinto menos sua falta.O seu cheiro não esta mais em mim,jã posso respirar melhor,caminhar melhor e em meus beijos não trarei mas seus pensamentos.


Espero que ele seja feliz.Mas que seja feliz sozinho.Não serei chata em ficar criticando quem o tem.Ele foi bom para mim enquanto durou.Mas tudo tem um fim.Estou naquela fase "somente hj" e espero que nunca mais.Foi muito dificil a separação mas não posso aceitar esta dominação.Sou muito mais forte que ele.E não vou deixar que me leve, como o fez com tantas pessoas queridas.Por pura vaidade ou falda de vontade de dizer Stop.
Fico com vontade quando o vejo em outras mãos,em outras bocas e até invejo quem o possui.Mas também tenho orgulho por minha decisão de deixa-lo.
Agora serei feliz mesmo sem sua presença.
Mesmo sem sua falsa companhia.Mesmo sem seu alto poder de sedução.


sexta-feira, 12 de março de 2010

Billy elliot

Por que toda vez que estamos na beirar do abismo quase a cometer suicídio temos a infeliz ideia de ligar a tv. Parece caso do destino.O sujeito na merda e tudo que ele quer é ouvir uma voz de um anjo enviado por Deus dizendo: "tudo vai passar você é um dos preferidos do homem lá de cima.Relaxa".Mas não, a mão coça e somos tentados por uma voz do mal que diz: liga a tv você vai relaxar mais depressa.Esta semana estava nesta situação.E ao invés da visita do anjo do bem,recebi a visita do anjo do mal e assim como Eva (grande mentira) fui tentada a pegar o controle e zappear sem parar.Sempre encontramos um filme que ao invés de levantar nossa moral nos leva as lagrimas e soluços.Assim também o noticiário onde nos faz pensar que o mundo está chegando ao fim.

O filme em questão foi Billy Elliot.Filmaçooo!!!
Para quem me conhece sabe que além de dormir adoroooooooooo assistir filmes e + filmes. Já tinha assistido este filme,mas quando estamos abertos a tristeza parece que tudo fica mais claro e emotivo.

Na história Billy é um menino de 11 anos que vive em uma pequena cidade da Inglaterra,onde o principal meio de sustento são as minas da cidade.Obrigado pelo pai vai treinar boxe,mas Billy fica fascinado com a magia do balé pois as aulas são na mesma academia. Incentivado pela professora de balé (Julie Walters) que vê nele um talento nato para a dança ele resolve entrar de corpo e alma e pendura as luvas de boxe.Mesmo tendo que contrariar a vontade de seu irmão e seu pai.




Fiquei apaixonada pela a história de Billy e mais ainda com o ator que o interpretou (Jamie Bell).Jeito de menino cara de homem com um sorriso lindo.Hoje ele tem 25 anos e mesmo não tendo a mesma beleza seu sorriso ainda encanta.O filme tem muitos clichês mas não deixa de ser leve,sensível com ótimas escolhas do elenco.Foi o primeiro longa-metragem do diretor Stephen Daldry que até então trabalhava somente com o teatro.Acertou na mão de primeira.O bom do filme e que ele não é pretensioso ao passar uma lição de vida,ele tinha tudo para isso( assista e verá) mescla  a ótima interpretação de Jamie Bell e a maravilhosa trilha sonora que casa com cada cena.Não é a toa que na cerimonia do Osca quase sempre tem uma cena de Billy Elliot.


http://www.youtube.com/watch?v=JoiVEyCosEE

Veja o Traler do filme.


Vai ai a dica para um bom filminho. Alias o anjo mal não fez tanto mal assim,pois além das lagrimas me veio o grande desejo de sair dançando como Billy Elliot. E minha alma ficou lavada com a energia de sua determinação.